Hospital Beneficiencia Portuguesa
Viva Bem Saúdavel
Voltar
09/07/2009
Odontologia - Mau hálito, acerte o tratamento

Pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Estudos e Pesquisas dos Odores da Boca (Sobepob) revelou que o mau hálito afeta 41% dos brasileiros entre 12 e 65 anos. O pior é que a maioria (58%) não percebe que sofre desse mal e tenta disfarçar com balas e chicletes

Muitas pessoas pensam que o mau hálito começa no estômago. Ao contrário, mais de 90% dos casos têm origem na língua, por isso, limpar a língua é tão importante quanto escovar os dentes e usar o fio dental.

Outros fatores que contribuem para um hálito desagradável são alimentos fortes (cebola, alho, salame, ovo, azeitona, sardinha), cáries, doenças nas gengivas, fumo, sinusites, infecções respiratórias, infecções na garganta, má higiene da boca e problemas digestivos.

Mas a causa mais comum, que dispensa exames sofisticados, é a língua suja, onde se acumula a saburra. Na linguagem dos dentistas, é a saburra lingual.

A anatomia que recobre a língua é formada por pequenas papilas (que lembram minúsculos cogumelos), muito próximas umas das outras. Com o tempo, entre as papilas surgem peque-ninas bolsas cheias de restos de comida, células mortas (resultantes da descamação natural do tecido) e bactérias que fermentam os restos alimentares, provocando a liberação de gases à base de enxofre, ou seja, o famoso mau hálito.

Quando mais espessa e pastosa for essa placa bacteriana, mais intenso é o cheiro que ela libera.

"Para a limpeza ser mais completa, a melhor solução é o raspador de língua, fácil de usar e mais eficiente que a escova, com a vantagem de evitar a recolonização das bactérias da língua para os dentes, transportados pela escovação", explicou o cirurgião - dentista Silvio Amadeu Nassar Pardo, da clínica Pardo Odontologia.

O limpador atua na região superior da língua, retirando restos de alimentos e bactérias, principalmente onde a escova não alcança. Depois de escovar os dentes, deve-se raspar suavemente toda a superfície da língua, com movimentos que vão da base para a ponta.

Lave o aparelho com água e sabão depois de usá-lo, trocando-o a cada seis meses.

É importante também diminuir o consumo de alimentos açucarados como chocolate, balas, sorvetes e tortas, já que o açúcar funciona como verdadeiro alimento para o crescimento e proliferação de bactérias.

Também o evidenciador de placas bacterianas é muito útil no controle bacteriano, por mostrar ao paciente onde estão as colônias a ser removidas pelo fio dental e escova.

Se o odor não desaparecer, é preciso procurar o médico, pois a origem não está na boca, e o mau cheiro pode ser causa de doenças.

Mesmo quem tem hálito saudável deve limpar a língua, pelo menos uma vez por dia, antes de dormir.

Como complemento do exame bucal, a Pardo Odontologia conta com o halitograma, aparelho de última geração que mede o mau hálito.

Fonte: Dr. Silvio Amadeu N. Pardo - Especialista em Periodontia e Implantes Dentários
Telefone - (17) 2139 1800 Email - contato@beneriopreto.com.br
Endereço
Rua Luiz Vaz de Camões, 3150 - Redentora
CEP: 15015-750 - São José do Rio Preto - SP